Mulher-Maravilha: feminismo e isonomia

Hoje, 8 de março, Dia Internacional da Mulher, vamos celebrar uma história de lutas e conquistas, que não é somente uma vitória para o sexo feminino, mas para toda sociedade e, claro, para o Direito. Para tanto, escolhi a personagem que melhor representa essa (r)evolução: a Mulher-Maravilha.

Anúncios

Código de Conduta e a deontologia jurídica

Código de Conduta conta a história de Clyde Shelton, que testemunha o assassinato brutal de sua filha e esposa. Os dois criminosos são presos, mas graças a um sistema falho e com a assistência da delação premiada, um dos assassinos se beneficia com a diminuição de sua pena, enquanto o outro é condenado à morte. O filme gera uma reflexão jurídica pelo fato de só um dos criminosos ter efetivamente realizado o crime hediondo e, justamente ele, ser favorecido pela colaboração premiada tão falada hoje em dia.